Pelo menos 15 pessoas de etnia uigur e um polícia de etnia han, a maioria da China, morreram num confrontos na zona desértica da província de Xinjiang, revelou hoje a Rádio Free Asia.



Segundo a emissora, os uigures mortos integravam um grupo de, pelo menos, 20 pessoas que a polícia cercou antes de disparar, num incidente que aconteceu a 20 de agosto na aldeia de Yikiqi, na prefeitura de Kashgar.




Já o chefe da polícia local, identificado pela agência Efe como sendo Batur Osman, terá revelado à emissora que as autoridades tinham encetado uma operação antiterrorista a 20 de agosto que terminou com êxito porque foi possível "destruir os terroristas".
Apesar do líder da polícia ter recusado dizer o número de mortos da operação, alegando que alguns não tinham documentos de identificação, um dos agentes da região disse terem sido 15 uigures e um polícia as vítimas mortais.
A província de Xinjiang, oeste do país, alberga uma população dividida entre a comunidade muçulmana uigur e a maioria dos colonos chineses de etnia han, e tem vivido vários episódios de violência nos últimos anos.
Depois do conflito étnico de 2009 ter provocado cerca de 200 mortos, em 2013 já se registaram vários ataques dos uigures a edifícios governamentais que fizeram um total de 35 mortos.


dn