1.jpgO primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, assegurou esta terça-feira que os meios dedicados ao combate aos incêndios são os adequados e lamentou a morte de quatro bombeiros, dizendo-se solidário com o trabalho feito.

O primeiro-ministro esteve hoje na Autoridade Nacional de Proteção Civil para ser informado do ponto de situação dos incêndios em Portugal.
Em declarações aos jornalistas, no final da visita, Passos Coelho deixou a garantia de que, apesar das dificuldades financeiras, os meios no terreno "são os considerados adequados".
"Vivemos tempos de dificuldades financeiras graves, mas isso não impediu que se mantivesse todo o esforço de despesa orçamental que foi feito em anos anteriores no combate aos incêndios. Nós não aliviámos nem nos descuidámos nos meios que estão disponíveis para intervenção no terreno", assegurou Passos Coelho.
Deu como exemplo o facto de, em sede de Conselho de Ministros, terem sido aprovadas resoluções que disponibilizam os meios para substituir equipamentos que já não estavam operacionais.
"Podia perfeitamente ter acontecido, por insuficiência de disponibilidade financeira, que esses meios não tivessem sido substituídos, por contenção orçamental, mas não foi isso que aconteceu e, apesar de sabermos que temos dificuldades financeiras, os meios que foram considerados adequados foram devidamente financiados", defendeu.


jn