1.jpg
Ricardo Pacheco confessou ter assassinado Bruna Pinto. Não mostrou arrependimento Ricardo Pacheco, de 20 anos, tremeu durante todo o seu depoimento ontem no Tribunal de Santo Tirso. Mostrou-se nervoso quando confessou ter assassinado a namorada Bruna Pinto, a 15 de setembro do ano passado, mas nunca disse estar arrependido. Responde por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

"Tínhamos estado juntos naquele dia e, como era já quase meia-noite, eu fui acompanhar a Bruna a pé até casa dela. Discutimos porque ela disse que não sabia se podia estar comigo no dia seguinte. Junto ao cemitério ela deu-me dois estalos, eu empurrei-a e ela deu com a cabeça numa pedra. Deitei-me em cima dela e sufoquei-a para que não sofresse, ela estava a tremer", relatou Ricardo Pacheco, que está a ser julgado por um tribunal de júri.
O jovem contou ainda que foi depois a casa buscar uma pá. Voltou então ao cemitério de Santo Tirso e atacou novamente a jovem, de 19 anos.
"Ouvi um barulho e então fechei os olhos e dei-lhe com a pá. Ainda fiz um buraco, mas não a consegui meter lá e então escondi o corpo na vegetação", contou.
Ricardo, que está preso, fugiu depois do local. O corpo da vítima apenas foi encontrado três dias a seguir. O homicida negou ainda ter comportamento obsessivos para com a jovem.
O julgamento continua no dia 5 de novembro.



cm