1.jpg
O ‘incidente’ da passada segunda-feira na Praça de Tiananmen, em Pequim, em que morreram cinco pessoas, foi um atentado terrorista e não um acidente rodoviário, como inicialmente avançado pelas autoridades chinesas.

Um veículo todo-o-terreno com três pessoas investiu contra os turistas que passeavam na famosa praça, epicentro do movimento pró-democracia de 1989, e atropelou várias pessoas. O veículo acabou por colidir contra os pilares de uma ponte e incendiar-se. O ataque fez pelo menos cinco mortos, incluindo os três ocupantes da viatura, e 38 pessoas ficaram feridas.
As autoridades admitem agora que terá sido um ataque terrorista levado a cabo por separatistas uigures da região autónoma da Xinjiang. Dois alegados cúmplices estão a ser procurados e a segurança foi reforçada em Pequim.



cm