1.jpg

A gota de água foi esta terça-feira de manhã, depois de a criança de seis anos que frequenta a Escola do 1.° Ciclo de Mesquitela, Mangualde, com comportamento violento, ter mordido mais uma colega de nove anos.

A mãe da vítima, ouvida pelo JN, disse que não sabe as circunstâncias exatas em que ocorreu a agressão: "Julgo que a minha filha estava a defender outro colega que também estava a ter problemas com o miúdo", afirmou L. Alves.
"Ela ficou com as marcas dos dentes na perna e levei-a ao centro de saúde", contou a encarregada de educação que ontem apresentou queixa por escrito junto do Agrupamento de Escolas de Mangualde. "Os miúdos estão apavorados, é preciso fazer alguma coisa", lamentou.
Na semana passada, tal como o JN avançou, as aulas foram suspensas depois de P. ter atirado contra os colegas , desde o primeiro andar para o rés do chão, cadeiras e todos os objetos guardados num armário, incluindo pesos de balança. Um abaixo-assinado, subscrito pela maioria dos pais deverá ser hoje entregue no Agrupamento de Escolas. "Hoje mesmo dei ordens para suspender o aluno temporariamente , até haver um relatório médico e garantias de que o aluno tem um comportamento estável, isto porque a segurança dos restantes alunos não está garantida", justificou Agnelo Figueiredo, diretor do agrupamento de Escolas de Mangualde, no seguimento do episódio de ontem.
A mãe do menino foi notificada ainda ontem e a suspensão tem efeitos a partir de hoje.
"Colocámos mais um funcionário das 9 às 17 horas só para tomar conta dele e mesmo assim estas situações acontecem porque o aluno age com imprevisibilidade", lamentou o diretor, que adianta que já recebeu dois pedidos de transferência de alunos para Mangualde.



jn