1.jpg

A aldeia de Cossourado, Paredes de Coura, onde nasceu Álvaro Barbosa, 32 anos, um dos dois raptores do médico António Veloso, foi alvo de uma operação-relâmpago da GNR, após uma denúncia de um morador que jura ter visto os dois fugitivos, por volta das 18 horas deste domingo.



Mais de 30 polícias investiram sobre três habitações, duas delas desabitadas e já antes usadas como esconderijo por Álvaro e pelo perigoso cadastrado espanhol que o acompanha, Canceliñas. A terceira pertence a um irmão de Álvaro e estava já vigiada.



Os militares, fortemente armados, chegaram à aldeia por volta das 21 horas, arrombaram portas e passaram a pente fino as casas e redondezas, mas se os dois homens ali estavam acabaram, entretanto, por fugir. A operação no local foi dada por terminada por volta das 23 horas.
Na Galiza e no Minho, no entanto, mais de mil polícias portugueses e espanhóis continuam envolvidos na "caça" aos dois homens que estiveram envolvidos no rapto de António Veloso, 62 anos.
A atenção está virada agora para novos carjacking, método que os raptores têm usado para se deslocar. Os três automóveis e uma motorizada furtados pelos assaltantes já foram recuperados.
O último, um Renault Clio, foi encontrado abandonado pela GNR junto ao campo de futebol de S. Pedro da Torre (Valença).



jn