1.jpg

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou, este domingo, que o seu governo vai impor limites ao lucro em todas as áreas da economia e determinar penas de prisão mais pesadas para empresários que especulem e 'roubem o povo'.

O anúncio tem lugar dois dias depois de o governo venezuelano ter obrigado as lojas de eletrodomésticos do país a baixarem os preços, na sequência de inspeções que detetaram "aumentos injustificados".



"Vou colocar limites percentuais aos lucros de capital em todas os ramos da economia, do aparelho produtivo venezuelano e de toda a economia nacional, obrigatórios, como em todos os países do mundo. (...) Haverá margens mínimas e máximas de lucro em tudo", disse.
A novidade foi avançada durante uma reunião de trabalho com o seu gabinete, transmitida de forma simultânea e obrigatória pelas rádios e televisões da Venezuela, durante a qual foram aprovadas medidas para combater a "guerra económica" que Nicolás Maduro diz estar em curso.
Uma vez aprovada pelo parlamento, a Lei Habilitante, que lhe concederá poderes especiais para legislar por decreto, vai fazer os ajustes necessários para "elevar as normas e penas (de prisão) aos níveis máximos possíveis para os empresários que recebam dólares da República" e os usem "para especular com a moeda, com os produtos e para roubar e saquear o povo".
"Essa gente tem que ser detida, presa, ir a julgamento e temos que 'carregar' (tributar) sobre o património acumulado que roubaram ao povo", realçou Maduro.



dn