1.jpg

O Tribunal de Cinfães condenou, esta terça-feira, a 18 anos e meio de cadeia José Sousa, 34 anos, o homem que matou o pai, em São Cristóvão de Nogueira, desfigurando-o com uma roda de charrua, por causa de uma garrafa de vinho.
O Coletivo deu como provado que o arguido estava sentado na mesa da habitação que partilhava com o pai e a mãe quando surgiu a vítima a discutir. O motivo prendia-se com o facto de José não trabalhar e viver a custa da reforma dos pais. A vítima, 73 anos, era alcoólico e não suportava que o filho lhe bebesse o vinho.
Ficou assente que a vítima agarrou a garrafa de vinho e tentou agredir o filho, que se desviou e empurrou o pai. Com a vítima no chão, o arguido desferiu vários pontapés e agarrou na roda de charrua para bater na cabeça do pai.
"Houve um descarregar de raiva e de ódio. Foi um crime extremamente grave", explicou a juíza presidente Fátima Bernardes, que no entanto encontrou várias atenuantes para o arguido, nomeadamente, por ter crescido num ambiente disfuncional e marcado pelo alcoolismo da vítima.


jn