Duas pessoas morreram e nove ficaram feridas, esta sexta-feira de manhã, durante um ataque a uma coluna militar perto do rio Pembe, no centro de Moçambique, alegadamente protagonizado por ex-guerrilheiros da Renamo.

O ataque, que terá ocorrido por volta das 07.30 horas [05.30 horas em Portugal continental] no troço Save-Muxungué, provocou a morte de um elemento da Força de Intervenção Rápida (FIR) e de um ex-guerilheiro da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), noticiou a Televisão Independente de Moçambique (TIM), que dá ainda conta de nove feridos, dois dos quais em estado grave.

Segundo a estação moçambicana, homens armados terão preparado uma emboscada à força conjunta do exército e da polícia moçambicana, escavando uma vala na via que obrigou a coluna militar a parar, iniciando-se depois uma troca de tiros entre as duas partes.

Depois de cinco dias sem qualquer registo de incidentes armados em Moçambique, este é o segundo ataque registado hoje no país.

Na província de Nampula, homens armados alegadamente da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) feriram gravemente um motorista de um camião no distrito de Rapale, naquele que foi o terceiro caso do género registado na região.

A atual tensão político/militar em Moçambique, a pior desde a assinatura dos acordos de Paz em 1992, foi provocada pela recusa da Renamo em participar nas eleições autárquicas, de 20 de novembro, em boicote à lei eleitoral, que considera favorável à Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo, no poder).



jn