1.jpg

Uma equipa médica reimplantou uma mão, um braço e uma perna a uma mulher mutilada pelo marido num episódio de violência doméstica. A cirurgia foi feita por três equipas do Hospital do Paranoá, no Brasil, e durou 10 horas.
A vítima recuperou três membros decepados pelo marido: a mão direita, o braço esquerdo e a perna esquerda. "Pensei que não ia poder voltar a andar, nem pegar na minha filha", confessou a mulher, que preferiu não ser identificada.
A cirurgia teve sucesso graças à eficácia do atendimento: a paciente foi levada de helicóptero até ao Hospital do Paranoá, no Distrito Federal de Base, no Brasil. O ortopedista Paulo Queiroz alertou para a necessidade de cuidar dos membros amputados, que para serem reimplantados foram guardados num recipiente com água e gelo.
Os médicos acreditam que a mulher pode recuperar até 80% das funções, no final do tratamento. "O plano agora é fazer a restauração dos tendões. Os ossos já estão fixos e alinhados. Depois de salvar os membros, o próximo passo é restaurar a função deles. Creio que em 20 dias serão iniciadas essas etapas", revela o médico Paulo Queiroz.
Esta não foi a primeira agressão sofrida pela paciente, que nunca apresentou queixa. "O casal já tinha um histórico de discussões, mas nunca desta maneira. Sabe-se que ele bebe e consome crack", afirmou o agente oficial Miguel Lucena.
Depois do sucedido, o marido fugiu. Ainda não foi apanhado, mas já tem prisão preventiva declarada. A polícia diz já ter algumas pistas sobre o paradeiro do criminoso e está a trabalhar para o encontrar.


jn