1.jpg

Forças policiais de todo o setor da segurança interna vão participar, esta quinta-feira, a partir das 17.30 horas, pela primeira vez em conjunto, numa manifestação nacional, em Lisboa, para contestar os cortes previstos no Orçamento do Estado para o próximo ano.
O protesto é organizado pela Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, que congrega a GNR, PSP, Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Polícia Marítima, Guardas Prisionais e Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) -, mas vai contar também com a presença dos inspetores da Polícia Judiciária e elementos das polícias municipais.
O secretário nacional da CCP, Paulo Rodrigues, afirmou que a participação de todo o setor deve "merecer particular atenção por parte do Governo".
Esta mobilização significa, segundo Paulo Rodrigues, que os orçamentos previstos para o setor da segurança interna "podem pôr em causa não só a questão socioprofissional, mas também o funcionamento das instituições".
Os profissionais das forças e serviços de segurança protestam contra os cortes previstos nos vencimentos e nos orçamentos das próprias instituições policiais em 2014.
"A manifestação vai servir para exigir do Governo outra atitude, mas também para alertar a sociedade e a opinião pública, para que é possível vir a ter no futuro uma polícia e uma segurança de menos qualidade", sublinhou Paulo Rodrigues.

jn