1.jpg

Um carro armadilhado explodiu, esta quinta-feira, em Bagdade, num mercado cheio de clientes, matando 30 pessoas e elevando para 5800 o número de pessoas mortas em atos de violência no país desde janeiro.
O ataque, de acordo com um coronel e um médico, foi realizado em Saadiyah, na província de Diyala, e provocou também 40 feridos.
A explosão do carro armadilhado acontece poucos dias depois de 32 pessoas terem morrido como resultado de um bombista suicida que atacou um conjunto de fieis da comunidade religiosa xiita da Ashura, a mais importante para a comunidade muçulmana, maioritária no Iraque, que é muitas vezes alvo de ataques sunitas.
Na quarta-feira, uma série de atentados e ataques em todo o país resultou em 59 mortos e mais de 100 feridos.
Mais de 5800 pessoas morreram desde o início do ano na sequência desta onda de violência, incluindo 964 em outubro, o mês mais mortífero desde abril de 2008, de acordo com dados oficiais.
A violência ocorre num contexto de profundo descontentamento da minoria sunita com o governo dominado pelos xiitas, acusados de multiplicar as detenções arbitrárias.



jn