O exército chinês testou o primeiro avião não-tripulado de combate furtivo, que realizou um voo de cerca de 20 minutos e aterrou sem qualquer problema aparente, no sudoeste da China, noticiou, esta sexta-feira, a imprensa oficial.

Semelhante ao "drone" militar norte-americano "Northrop Grumman X-47B", com uma asa delta, o aparelho chinês foi batizado "Lijian" ("Espada Afiada"), e pode realizar missões de vigilância e ataque à distância.
Como acontece muitas vezes na China, este batismo de voo, que decorreu na quinta-feira, foi inicialmente divulgado, através de fotografias e vídeos amadores, em blogues na Internet.

Os "media" estatais - a agência noticiosa Xinhua, a televisão CCTV, o jornal Diário do Povo - retomaram a notícia, sublinhando que as capacidades militares chinesas aproximam-se das exibidas pelas grandes nações ocidentais.
Pequim apresentou o primeiro protótipo de caça-bombardeiro furtivo no início de 2011, mais cedo do que o esperado pelos observadores, o que de certo modo veio confirmar a rápida modernização das forças armadas chinesas, de acordo com a agência noticiosa francesa AFP.



jn