1.jpg

A ex-primeira-ministra ucraniana Iulia Timochenko, na prisão, pediu hoje aos seus apoiantes que protestem nas ruas contra a decisão do Governo de suspender a preparação do acordo de associação com a União Europeia.

"Iulia Timochenko apela aos ucranianos que saiam para as ruas por todo o país", disse à imprensa o advogado da ex-primeira-ministra, Sergiy Vlasenko, acrescentando que ela comparou a decisão a "um golpe".



A oposição ucraniana realizou hoje protestos em Kiev e noutras cidades do país, gritando frases como "A Ucrânia é Europeia" e brandindo bandeiras da UE.
A oposição, que defende a impugnação do Presidente Viktor Iukanovich, convocou para domingo uma manifestação multitudinária para a praça Maidan, em Kiev, palco em 2004 da "revolução laranja".
"Ianukovich violou a Constituição (...) isso é motivo suficiente para a sua impugnação", afirmou hoje, em conferência de imprensa Arseni Iatseniuk, líder parlamentar do partido opositor Batkivschina.
Segundo Iatseniuk, o Presidente aceitou renunciar ao acordo com a UE em troca de um financiamento da Rússia à sua campanha para as presidenciais de 2015.



dn