Um dirigente da coligação eleitoral Convergência Ampla de Salvação de Angola (CASA-CE) terá sido morto hoje de madrugada em Luanda, segundo a direção do partido, mas a polícia não confirmou a informação.

A notícia da morte do militante da CASA-CE foi transmitida à Lusa pelo líder do partido, Abel Chivukuvuku.
O responsável acusou efetivos da Unidade de Guarda Presidencial (UGP) de terem morto Wilbert Ganga, dirigente da Juventude Patriótica, ala juvenil do partido, o segundo maior da oposição em Angola.
"Por enquanto estamos aqui. Ainda vivos. Temos dirigentes presos e a Guarda Presidencial matou à queima-roupa um dos nossos dirigentes", acrescentou Abel Chivukuvuku.
Contactado pela Lusa, o porta-voz do Comando geral da Polícia Nacional, comissário Aristófanes dos Santos, disse não ter nenhuma confirmação da morte do dirigente da CASA-CE.
"Estou no terreno e não tenho confirmação. Mais logo vamos fazer uma declaração", acrescentou Aristófanes dos Santos.



jn