1.jpg

Centenas de partidários da oposição tailandesa que reclama a demissão da primeira-ministra invadiram hoje o Ministério das Finanças e o Ministério dos Negócios Estrangeiros e ameaçam ocupar outros edifícios governamentais, último desenvolvimento do movimento de rua mais importante desde a crise de 2010.

Ao início da tarde de hoje, centenas de manifestantes entraram no complexo do Ministério das Finanças, relatou uma jornalista da AFP. O outro ministério invadido foi o dos Negócios Estrangeiros.



"É a última etapa da desobediência civil", declarou à multidão Suthep Thaugsuban, um dos dirigentes do Partido Democrata, principal partido da oposição, que entrou no complexo com os manifestantes.
"Se os funcionários não pararem o seu trabalho, nós tomaremos todos os ministérios amanhã para mostrar que o sistema de Thaksin não tem legitimidade para dirigir o país", acrescentou, numa referência à antiga primeira-ministra no exílio, Thaksin Shinawatra, que continua no coração da política do reino.
Muitas dezenas de milhares de opositores ao governo de Yingluck Shinawatra, irmã de Thaksin, marcharam hoje de manhã em direção a uma dezena de locais, incluindo as sedes da polícia, do exército e das cadeias de televisão.
A gritar "Thaksin rua, o exército connosco", alguns participantes apelaram a uma intervenção militar num país que teve 18 golpes de Estado ou tentativas desde o estabelecimento da monarquia constitucional em 1932, entre os quais o que depôs Thaksin em 2006.


dn