1.jpg

As ruas do centro de Banguecoque 'acordaram' hoje com a presença de mais elementos da polícia e efetivos das forças de segurança face aos protestos "pacíficos" que pretendem derrubar o Governo de Yingluck Shinawatra.

A primeira-ministra, que na segunda-feira anunciou a aplicação da Lei de Segurança Interna em Banguecoque, assegurou que as forças de segurança irão fazer cumprir a lei, mas "sem utilizar a força" e respeitando padrões internacionais.



Na sua mensagem emitida pela televisão local, Yingluck Shinawatra salientou que os protestos passaram de "pacíficos" à ocupação de edifícios públicos, destruindo portas e cortando o fornecimento de energia e água em vários departamentos do Governo.
A comunicação ao país da chefe do Governo aconteceu após milhares de pessoas se terem manifestado em diversos pontos da capital tailandesa na segunda-feira, manifestações que terminaram com a ocupação dos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e das Finanças.
A mobilização popular, que ganhou força no último fim de semana, está a ser liderada por Suthep Thaugsuban, ex-vice-primeiro-ministro e um dos elementos do Partido Democrata, na oposição.
No domingo, uma manifestação da oposição juntou, segundo os números do exército, cerca de 150.000 pessoas - 100.000 segundo a polícia - e mesmo assim bem abaixo do milhão de pessoas indicado pela organização.



dn