Lego avança para 100% de energia renovável até 2050



A fabricante de brinquedos Lego assinou ontem um acordo de €3,9 mil milhões (R$ 12,3 mil milhões) para que toda a energia por si consumida seja de fontes renováveis, até 2050. A empresa dinamarquesa entrou também para a parceria Climate Savers, da WWF, prometendo melhorar a sua performance em várias prioridades ambientais,

A curto prazo, a Lego prevê o corte de 10% na energia usada para fabricar uma tonelada de peças, produzindo mais energias renováveis nas suas próprias instalações.

“Há oito anos que estamos a crescer bastante. À medida que o fazemos, estamos a tornarmo-nos mais conscientes do impacto que deixamos no planeta. A parceria com a WWF é uma parte importante dos nossos esforços para melhorar as iniciativas de sustentabilidade”, explicou Jorgen Vig Jnudstorp, CEO da Lego.

Um dos grandes desafios da Lego é exportar esta consciência ambiental para os seus fornecedores. Apenas 10% de todas as emissões de carbono ligadas aos produtos Lego são originadas por processos desenvolvidos nas fábricas da empresa dinamarquesa.

As emissões restantes são emitidas pela cadeia de fornecimento, o que irá levar a empresa a colaborar com todos os seus parceiros para tentar reduzir esta dependência.

Nos planos da dinamarquesa estão ainda explorar a forma como podem utilizar menos materiais, aumentar os níveis de reciclabilidade e utilizar materiais reciclados ou renováveis. Este ano, a empresa já começou a utilizar caixas mais pequenas, o que reduz a pegada carbónica das suas embalagens em 10%.


Foto: avrene / Creative Commons
Greensavers