A Marinha dos Estados Unidos anunciou no dia 9 de Abril de 2014, os primeiros testes da mais nova arma capaz de disparar sete vezes a velocidade do som (cerca de 7000 km/h).

Os projécteis podem atingir até cerca de 8 km com cercos electromagnéticos de alta frequência e prometem revolucionar a guerra. Até agora, o poder da arma não foi totalmente utilizado, porém, os funcionários da Marinha americana disseram que planeiam instalar e testar um protótipo no navio, nos próximos dois anos. Para funcionar, a arma precisa de electricidade e não de pólvora. Elas utilizam a força de Lorentz que acelera rapidamente os projécteis e os queimam a uma velocidade maior do que as alcançadas por armas tradicionais. Com o aumento da velocidade, os projécteis não precisam de carga explosiva porque disparam um sólido metálico que, por causa da sua agilidade, quando se choca, transfere grande quantidade de calor e energia cinética para o alvo. Os projécteis pesam cerca de 10 kg cada um e custam a mesma coisa que um convencional. Armas energéticas, como essas, são o futuro do combate naval. A Marinha dos Estados Unidos está na vanguarda desta tecnologia para mudar o jogo.