Entra no ouvido e sai por outro ou até ouves umas coisas?


Tenta descobrir se tens maus hábitos de escuta e procura criar uma nova postura mais eficaz:

- MENOSPREZAS O ASSUNTO. Achas que é demasiado aborrecido para despertar a tua atenção. G.K Chesterton disse um dia que neste mundo não existem assuntos desinteressantes, apenas pessoas desinteressadas. Um bom ouvinte procura sempre encontrar algo de interessante e novo a aprender em qualquer assunto. Descobre uma boa razão para o aprenderes.

- CRITICAS O ORADOR. Culpas o professor por não te prender a atenção ou não gostas da sua forma de ensinar e usas isso como uma desculpa para não te manteres atento. Podes manter a tua opinião sobre a sua forma de ensinar e manter a tua atenção e interesse naquilo que está a ser dito. Quanto mais te focares no conteúdo da mensagem, menos importância terá para ti a forma como te é transmitida. Quem sabe até ao fim de algum tempo consigas nem reparar na sua forma de ensino ou habituares-te a ela. Lembra-te que a responsabilidade de interesse e compreensão está em ti e não no professor.

- REJEITAS ANTECIPADAMENTE e não ouves até ao fim. Desistes de o ouvir porque não concordas ou não gostas do que ouves. Procura adiar a tua decisão ou opinião até ouvir tudo o que tem a dizer acerca do assunto. É importante que percebas o seu ponto de vista antes de concordar ou rejeitar. O mesmo podes fazer em relação a assuntos a respeito dos quais tens ideias pré-concebidas. Podes não concordar com algo e precisar de aprendê-lo. Vê isso como uma oportunidade para conhecer melhor o que te causa essa reacção de rejeição para reveres a tua opinião ou reforçá-la. Não uses um preconceito como desculpa para não aprenderes.

- DÁS IMPORTÂNCIA SÓ AOS FACTOS. Um bom ouvinte procura ouvir as ideias principais e encadear os acontecimentos. De que te interessa conheceres os factos se não compreendes o seu significado ou em que contexto é que surgem? Procura perceber a relação que estabelecem com o assunto que estás a aprender e de que maneira suportam o ponto de vista do professor.

- FINGES-TE ATENTO. Um olhar e postura fixa no professor não significam que estás concentrado. Um bom ouvinte não é relaxado nem passivo. Tem uma escuta activa, dinâmica e construtiva. O ritmo cardíaco acelera, a temperatura do corpo sobe. Sente uma tensão até ao momento em que sente que consegue captar os factos ou ideias que estão a ser transmitidas.
continua



- DEIXAS-TE DISTRAIR com facilidade e às vezes até distrais os outros conversando ou fazendo barulho e não te esforças muito para combater a tua distracção. Procura combater essa tendência de ceder a distracções e foca sistematicamente a tua atenção na informação que recebes do professor.

- EVITAS APRESENTAÇÕES OU AULAS mais complexas e adias confrontar-te com a tua dificuldade em compreender a matéria. Apesar de te dar um alívio provisório, acumulas matéria complicada assim como as tuas dificuldades. Quanto mais cedo enfrentares essas aulas, menos esforço terás de fazer para compreender matérias complicadas e maior será o teu interesse.

- NÃO APROVEITAS O POTENCIAL DA VELOCIDADE DE PENSAMENTO. Sabias que a velocidade de conversação é diferente da do pensamento? Numa conversa normal, falamos em média 125 palavras por minuto. Numa aula é provável que o professor fale em média 100 palavras por minuto. No que respeita à nossa velocidade de escuta ou seja, de pensar palavras enquanto as escutamos, pode atingir uma média de 400 – 500 palavras por minuto. Podes tentar tirar proveito desta diferença desenvolvendo as tuas competências de concentração.

Tenta antecipar para onde caminha o discurso do professor. Se acertares, as suas palavras reforçam a tua conclusão, se falhares, procura perceber onde. De qualquer maneira, de certeza que tirarás muito mais proveito da aula, do que adoptando uma escuta meramente passiva.

Vai recapitulando aquilo que ouves. Aproveita pausas do professor para fazer resumos mentais acerca do que estás ouvir, quais as ideias principais ou conclusões dos últimos cinco minutos. Ao fazê-lo aumentas a tua compreensão e recordação da aula.

- NÃO TIRAS APONTAMENTOS DAS AULAS porque achas que não vale a pena ou porque vais arranjar uns feitos por um colega. Fazer os teus apontamentos ajuda-te a focar a tua atenção e testam a tua compreensão do assunto. Faz apontamentos das ideias principais da aula. Foca-te nas pistas do professor, que podem ser, material escrito no quadro, maior ênfase dado a determinadas partes com exemplos ou repetições ou mesmo com alterações do tom de voz. Aponta também os resumos dados no fim e no início de cada aula. Prepara-te para cada aula relendo os teus apontamentos da aula anterior.