A Coreia do Norte ameaçou hoje abrir fogo contra navios de guerra sul-coreanos depois destes terem realizado disparos num novo incidente naval na fronteira marítima, informou a agência norte-coreana KCNA.



Esta ameaça ocorre um dia depois de o Chefe de Estado sul-coreano ter dito que três navios da Coreia do Norte cruzaram a fronteira marítima da Península Coreana, movimento ao qual Seul respondeu com um pedido de retirada da zona e tiros de aviso.




"A partir deste momento, todos os navios de guerra do exército fantoche sul-coreano (...), que constantemente navegam nas águas sensíveis da frente do Sudoeste, converteram-se, sem exceção, em alvo de fogo direto", disse o exército norte-coreano, citado num comunicado da KCNA.
O regime de Pyongyang qualificou os disparos da Coreia do Sul como "um ato de provocação grave e deliberado", e justificou a presença dos navios norte-coreanos na região no âmbito de "operações para vigiar a pesca ilegal de barcos civis chineses nessas águas sensíveis".
A Coreia do Norte "vai atacar sem aviso, se detetar qualquer provocação perto da demarcação marítima do seu exército e em torno das cinco ilhas" no Mar Amarelo, informou em declaração Pyongyang.
Segundo a versão de Seul, dois navios patrulhas e um navio norte-coreano cruzaram a Linha Limite do Norte que divide as duas Coreias no Mar Amarelo pelas 16:00 (08:00 de Lisboa) de terça-feira, abandonando a zona uma hora depois dos disparos.



dn