Grupo de voluntários posa para a fotografia

Caçadores tradicionais nigerianos ofereceram-se como voluntários para participar nas buscas pelas raparigas sequestradas. Enfrentam os radicais islâmicos dos Boko Haram por duas refeições por dia.
100 caçadores tradicionais nigerianos, de várias aldeias da região de Borno, juntaram-se esta quinta-feira num campo em Maiduguri e ofereceram-se às autoridades locais, como voluntários, para participar nas buscas pelas mais de 200 raparigas sequestradas pelo grupo radical islâmico Boko Haram.



Uma reportagem da Reuters assinalou o momento e falou com o comandante do grupo, Mohammed Chiari, que revelou que em troca dos seus serviços o governo local oferece duas refeições por dia aos voluntários.
No campo, os caçadores fizeram amuletos e rituais de magia tradicional, bem como munições artesanais com os quais pretendem enfrentar o grupo radical islâmico.



dn