O suspeito do duplo homicídio em Valongo dos Azeites chegou hoje à tarde sob forte aparato policial ao tribunal de S. João da Pesqueira, onde era aguardado por mais de uma centena de populares.

O passeio de acesso à entrada principal do tribunal tinha sido vedado às 12:30, impossibilitando populares e jornalistas de se aproximarem. No local, mantiveram-se dezenas de elementos da GNR, inclusive a cavalo.

Cerca de três horas depois, três carros subiram o passeio, saindo de um deles o suspeito, com a cara tapada por um casaco, o que motivou muitos aplausos e alguns assobios.

Manuel Baltazar, aposentado de 61 anos, foi detido na quarta-feira pela suspeita de quatro homicídios, dois consumados e dois na forma tentada, depois de ter andado fugido mais de um mês.

PJ apanhou «Palito» quando ia recolher imagens de vigilância

Ao final da manhã de hoje, os responsáveis pela Unidade Local de Investigação Criminal da PJ de Vila Real e do Comando Territorial da GNR de Viseu chamaram os jornalistas para uma declaração, sem direito a perguntas, alegando que a investigação ainda está a decorrer e sujeita ao segredo de justiça.

«Foi desenvolvida então uma operação policial após a ocorrência dos crimes, que teve dois objetivos: garantir a segurança da comunidade e proceder à localização e detenção do suspeito com vida. Refiro, com vida, no sentido de o apresentar à justiça», salientou o inspetor-chefe da PJ de Vila Real, António Torgano.

Manuel Baltazar terá sido detido ao entrar na sua residência, em Trevões, pondo fim a uma fuga mediática. Na altura, estaria armado, mas não terá oferecido resistência.

O homem, conhecido como «Palito», é suspeito da morte de uma tia e da mãe da ex-mulher, e de, no mesmo ataque, ter disparado também contra a ex-companheira e a filha.

Manuel Baltazar estava com pulseira eletrónica e proibido de contactar a ex-mulher, no âmbito de um processo de violência doméstica.


tvi24