As mulheres de dois autarcas venezuelanos afastados do poder por não terem desmantelado barricadas em manifestações foram domingo eleitas para presidir às câmaras municipais de San Cristóbal e San Diego, respetivamente.



Apoiada pela coligação opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD), Patrícia Fernández foi eleita presidente da Câmara Municipal de San Cristóbal com 88.799 dos votos, ou 73.62%, superando os 82.794, ou 67,67% dos votos obtidos pelo marido, Daniel Ceballos, nas municipais de 2013.




Por outro lado e também apoiada pela MUD, Rosa Scarano foi eleita com 33.603 votos, ou 87,86%, para substituir o marido, Enzo Scarano, na presidência da Câmara Municipal de San Diego que este tinha conquistado nas municipais de 2013 com 29.665 votos, ou 75,24%.
Segundo as Juntas Eleitorais Regionais, em San Cristóbal a abstenção foi de 41,41%, dos 208.183 cidadãos inscritos. O candidato Jesús Alejandro Méndez do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido de Governo) ficou em segundo lugar, com 30.787 votos (25.52%).
Em San Diego a abstenção foi de 36,49%, dos 60.614 cidadãos inscritos e Alexis Rafael Abreu, do PSUV, ficou em segundo lugar, com 4.459 votos (11.63%).
O coordenador nacional do PSUV, Jorge Rodríguez, reconheceu a derrota dos socialistas em ambos municípios, vincando que "todos devemos ler nestes resultados a lição que dão (os cidadãos) aos fatores políticos".



jn