Por Carlos Jorge Monteiro/Global Imagens

Há dez anos a Europa era dos dragões

"Viver com más recordações é um drama, viver com boas é uma força para lutarmos".
Foram estas as últimas palavras de José Mourinho na palestra que antecedeu a entrada da equipa em campo. Passados dez anos, é fácil dizer que a final de Gelsenkirchen teve pouca história apesar de ficar para a história dos dragões.
Mesmo sem um ponta de lança de raiz, Jankauskas e McCarthy começaram no banco, a superioridade do FC Porto raramente foi posta em causa pelo Mónaco.
Ainda por cima, Carlos Alberto abriu o marcador cedo, assegurando a tranquilidade necessária para gerir os ritmos. Deco e Alenitchev marcaram na segunda parte para a festa antecipada dos portistas que estavam em grande maioria no estádio. Deu até para Pedro Emanuel entrar nos minutos finais...

>> Estádio Arena Auf Schalke

>> Árbitros Kim Milton Nielsen (Dinamarca)

FC Porto

Vítor Baía, Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Jorge Costa e Nuno Valente; Costinha, Maniche, Pedro Mendes e Deco (Pedro Emanuel 84'); Carlos Alberto (Alenitchev 60') e Derlei (McCarthy 78')

Treinador José Mourinho

Mónaco

Flavio Roma, Ibarra, Julien Rodriguez, Gael Givet (Squillaci 71') e Patrice Evra; Edouard Cissé (Shabani Nonda 63'), Lucas Bernardi e Vassilis Zikos; Giuly (Dado Prso 23'), Jérôme Rothen e Morientes

Treinador Didier Deschamps

ao intervalo 0-1

Golos 39' Carlos Alberto, 71' Deco, 75' Alenitchev

amarelos 29' Nuno Valente, 40' Carlos Alberto, 77' Jorge Costa

vermelhos Nada a assinalar

Fonte: O Jogo