Um ataque hacker que se está a propagar pela Austrália mira donos de iPhone. Utilizadores da Apple naquele país alegam terem recebido um e-mail da empresa a informar que o seu dispositivo - que não foi roubado - havia sido encontrado através da função «Find My iPhone». Ao tentar utilizar o telemóvel, no entanto, deparavam-se com a mensagem «Dispositivo hackeado por Oleg Pliss», que cobrava entre 50 e 100 dólares para o resgate do aparelho.

Para dar sequência ao golpe, os utilizadores deveriam depositar o dinheiro numa conta no PayPal, mas um porta-voz da plataforma de pagamento online desmentiu a existência de uma conta relacionada com o nome Oleg Pliss, descrito na mensagem. Segundo o site australiano The Age, o nome é falso e, por acaso, é o mesmo de um engenheiro que trabalha na Oracle.

Ainda não está claro como os criminosos conseguiram realizar o golpe, mas o especialista em segurança de TI Troy Hunt disse ao site que as senhas dos clientes da Apple podem ter sido obtidas a partir de uma fuga de informações de algum serviço com acesso aos dados registados na Apple.

O ataque não afecta os utilizadores que bloqueiam os seus iPhones com senhas.

Por enquanto não há indícios de que isso tenha ocorrido em Portugal, mas ficam aqui algumas recomendações de segurança para impedir que isso ocorra:

1) Utilizar senhas diferentes. Se um site for comprometido por uma fuga de informações, as suas contas noutras páginas estarão igualmente comprometidas.

2) Deixar o smartphone sempre bloqueado e com senha.

3) Utilizar a autenticação em dois passos, da Apple. O procedimento é pedir que uma nova senha temporária seja enviada para o dispositivo em cada acesso à iCloud.

Fonte: DD