Uma conferência no ISPA sobre a saúde peniana foi o mote para o jornal i reunir alguns conselhos para os homens.
Segundo o i, o caminho para uma vida sexual satisfatória não é muito diferente daquele que temos de seguir para sermos inteiramente saudáveis – ou não fosse o pénis ‘apenas’ mais uma parte do corpo.

Comer uma maçã por dia no quadro de uma alimentação equilibrada, deixar de fumar e fazer exercício regular são algumas dicas elementares para manter um bom desempenho na ‘hora h’, adiando ou evitando problemas de disfunção eréctil.

Manter a higiene é outro passo fundamental, mas o urologista Nuno Monteiro Pereira, citado pelo i, ressalva que não é realmente necessário depilar as partes baixas – é mais uma opção estética.

Quanto à masturbação e ao seu efeito no pénis, é como tudo na vida: há que gozar com conta, peso e medida. O médico afirma que uma frequência regular de ejaculação pode diminuir o risco de cancro da próstata. E que a masturbação também pode ser benéfica em situações de “tensão sexual exacerbada”, que pode ser “mitigada” através do prazer solitário, evitando transtornos psicológicos.

Dois inquéritos recentes revelam que cerca de um quarto dos homens apresentam disfunções sexuais. Entre estas, a falta de desejo (12 a 16%), dificuldades em obter uma erecção (13%) e problemas de ejaculação precoce ou tardia (12 a 22%).

E o tamanho? Quanto a isso não há grande coisa a fazer, mas os médicos desvalorizam esta obsessão que tanto afecta homens como mulheres. Segundo Monteiro Pereira, uma vagina estica em média até aos 10 ou 12 centímetros, um valor atingido pela esmagadora maioria dos pénis, pelo que não é por aí que passa a insatisfação no acto sexual. Aliás, refere o médico, um pénis muito grande terá maior tendência a ter problemas de erecção, devido à dificuldade maior do sistema sanguíneo em irrigar todo o órgão.

Portanto, a solução para um pénis saudável passa primeiro por todo um estilo de vida mais salutar. E, se os problemas persistirem, o mais provável é que tudo esteja na mente, e que o recurso a psicoterapia possa ser uma grande ajuda.

SOL.