A junta militar da Tailândia está a ponderar levantar o recolher obrigatório em zonas turísticas, como Phuket e Pattaya, sempre que não haja protestos contra o golpe de Estado, informa hoje a imprensa local.
O Conselho Nacional para a Paz e Ordem (NCPO, na sigla em inglês), designação oficial da junta, indicou que o recolher obrigatório-- cujo horário foi reduzido na quarta-feira passando a ser das 00:00 às 04:00 -- poderá deixar de existir a partir da próxima semana.



"Se não houver sinais de distúrbios ou protestos contra o golpe, então o NCPO poderá considerar, caso a caso, o cancelamento do recolher obrigatório", afirmou o porta-voz da junta, o coronel Nattawat Chancharoen.
Na capital , Banguecoque, por exemplo, são permitidas deslocações de e para o aeroporto a todas as horas.
O número de turistas chegados à Tailândia tem diminuído desde que os militares tomaram o poder, a 22 de maio, com associações de empresários a queixarem-se do impacto negativo que o recolher obrigatório decretado está a ter nos seus negócios.
A Federação de Indústrias da Tailândia reviu em baixa as previsões sobre o número de turistas para este ano de 28 milhões para 26,8 milhões.



dn