Técnico português revela, contudo, "deceção" por um resultado tão negativo da seleção portuguesa e classifica expulsão de Pepe como "uma situação difícil de aceitar".
José Mourinho não esconde o desapontamento pelo resultado obtido por Portugal diante da Alemanha (4-0) e diz mesmo que o que se passou em campo reflete aquilo que se pode esperar das duas formações no Mundial 2014. Para o Special One, que recuou no tempo para analisar o desempenho de segunda-feira, a equipa das quinas não consegue ganhar aos adversários mais fortes sempre que precisa de o fazer.



"Se recuarmos um pouco e analisarmos os desempenhos da seleção nas últimas presenças em mundiais e europeus, Portugal não consegue grandes resultados contra as melhores equipas. No último Euro (2012), por exemplo, perdemos com a Espanha. Tudo bem que foi, mas não conseguimos marcar um golo. E, depois, perdemos também com a Alemanha. No Mundial 2010, não marcámos contra o Brasil, nem contra a Espanha", atirou o treinador do Chelsea, numa análise feita ao portal Yahoo Sports.
E para reforçar a tese Mourinho prosseguiu: "Estaria a mentir se dissesse que estava à espera de ganhar à Alemanha ou que esperava que o Cristiano [Ronaldo] fizesse dois ou três golos. Ainda assim, esperava um jogo mais equilibrado e que refletisse o potencial das duas equipas. 4-0 foi uma deceção."
Já sobre Pepe, central que orientou no Real Madrid, Mourinho também foi muito duro, em particular no que respeita à expulsão pelo desentendimento com Thomas Müller e ao golo de Mats Hümmels. "Obviamente que o segundo golo foi culpa dele. Estava a marcar à zona, mas não tocou no adversário, deixou-o livre e Hümmels fez o segundo golo. Aí, apareceu a frustração pelo erro apareceu e depois perdeu a cabeça com o Müller. Talvez não merecesse o cartão vermelho, por não ter sido uma agressão clara, mas existiu uma linguagem corporal que forçou o árbitro a expulsá-lo. Foi uma situação difícil de aceitar", criticou.


dn