Colômbia-Costa do Marfim, 2-1

Foi uma vitória suada, difícil, mas muito saborosa: uma vitória arrancada a ferros e que permitiu à Colômbia ficar muito perto dos oitavos de final. A seleção de José Pekerman somou o sexto ponto em dois jogos e só precisa que mais logo à noite o Japão não vença a Grécia.

Um outro resultado (a vitória da Grécia ou o empate) permite à Colômbia fazer a festa no hotel.

Foi uma vitória suada, difícil, saborosa, portanto, mas foi também uma vitória com cheirinho a Portugal: basicamente os golos colombianos foram marcados por James Rodriguez e Quintero, um jogador que já passou pelo FC Porto e outro que ainda faz parte do FC Porto.

Isto num jogo em que Jackson Martínez não saiu do banco.

Depois de uma primeira parte muito pobre, na qual a Costa do Marfim esteve quase sempre mais perto da baliza adversária e na qual também a Colômbia não conseguiu aproveitar o espaço nas costas da seleção africana, depois desta primeira parte pobre, dizia-se, veio um segundo tempo bem melhor.

Do primeiro tempo sobrou apenas uma verdadeira oportunidade de golo, aliás: James Rodriguez cruzou para deixar Téo Gutierrez na cara do golo, mas o colega falhou escandalosamente.

O segundo tempo abriu com um tiraço de Cuadrado à barra: o extremo tirou Boka da frente e disparou fortíssimo ao ferro.

Logo a seguir, quando o relógio marcava 63 minutos, James Rodriguez abriu o marcador: canto do mesmo Cuadrado e ao primeiro poste, de cabeça, o esquerdino do Mónaco finalizou para golo.

Nessa altura Quintero já estava em campo e rentabilizou a aposta de José Perkeman pouco depois: Serey Die perdeu uma bola infatilmente, Téo Gutierrez isolou o jovem do FC Porto e o esquerdino finalizou na cara do guarda-redes Barry para o segundo golo.

Das lágrimas no hino às lágrimas no golo adversário

Serey Die tinha dado nas vistas ainda antes do início do jogo, chorando copiosamente ao ouvir o hino da Costa do Marfim, depois deste erro deitou-se no chão de mãos na cabeça.

O jogo, esse, ainda estava longe de terminar. Sobretudo porque a Costa do Marfim reagiu bem: pouco depois Gervinho recebeu uma bola sobre a esquerda, passou por dois adversários e atirou forte para golo. A emoção estava relançada.

Até ao fim a Costa do Marfim carregou sobre a baliza da Colômbia, que sofreu essa pressão, e Quintero quase marcou um golo de antologia: do meio campo, percebeu o adiantamento do guardas-redes e tentou fazer-lhe o chapéu, mas Barry ainda foi a tempo de segurar a bola.

Feitas as contas, a Colômbia venceu bem e ficou muito perto da qualificação. Está lançada.

Confira a ficha de jogo e o relato ao minuto

Fonte: Mais Futebol