O proprietário de um ATL do concelho de Penafiel foi recentemente acusado pelo Ministério Público de sete crimes de abuso sexual de criança e de pornografia de menor. Ao JN, o empresário negou tudo.

São quatro menores que passaram pelo centro de atividades de tempos livres (ATL), entre 2006 e 2011, que acusam o proprietário, de 54 anos, de ter aproveitado as suas funções no estabelecimento para as apalpar em zonas íntimas. As acusações levaram a PJ do Porto a realizar buscas em casa do suspeito, onde encontraram um computador com 134 ficheiros de pornografia infantil.
Segundo a acusação do Ministério Público (MP) de Penafiel, que o JN consultou, todas as vítimas tinham entre 10 e 12 anos quando o indivíduo aproveitou ou viagens entre a escola e o ATL, ou encontros no escritório do centro de estudos, para abusar delas.



jn