Honduras-Suíça, 0-3

Desta vez a Suíça não se deixou enganar pelas Honduras, como aconteceu há quatro anos, e carimbou a qualificação para os oitavos de final do Campeonato do Mundo, com um sensacional «hat-trick» de Shaqiri [o segundo de um jogador do Bayern, depois de Müller frente a Portugal], beneficiando do nulo do Equador no Maracanã para a acompanhar a França para a próxima fase onde vai defrontar a Argentina.
Há quatro anos, na África do Sul, a Suíça começou por ganhar à Espanha (1-0), mas depois perdeu com o Chile (0-1) e, ainda com os oitavos de final à vista, despediu-se do Mundial com um nulo frente às Honduras. A equipa de Otmar Hitzfeld aprendeu a lição e, desta vez, não facilitou, ganhando vantagem, logos aos 6 minutos, com um grande golo de Shaqiri: espetacular remate com o pé esquerdo, de fora da área, levando a bola ao ângulo.
Conquistada a vantagem, a Suíça entregou a bola ao adversário que, apesar de duas derrotas, tinha ainda uma ténue possibilidade de passar à próxima fase. Foi um período de vinte minutos muito feio, com as Honduras a chocar contra o muro helvético, com muitas faltas, algumas delas de arrepiar cabelos. A Suíça controlava o jogo, mas poupava forças no difícil clima de Manaus, onde Portugal empatou com os Estados Unidos, com a humidade a aproximar-se dos 90 por cento.
As Honduras carregavam, as sem encontrar espaços para visar a baliza de Benaglio até que, aos 31 minutos, rápido contra-ataque da Suíça e 2-0: Drmic foge pela esquerda e assiste Shaqiri que bisa no jogo. A Suíça reforçava a vantagem e, depois da goleada consentida diante da França (2-5), equilibrava a balança entre os golos marcados e sofridos. Tudo perfeito, até porque não havia notícias de golos do Maracanã.

Agora a destilar...

Mas a verdade é que ainda faltavam 45 minutos e 45 minutos em Manaus são uma eternidade. Foram evidentes as dificuldades dos europeus nesta segunda parte para travar a maior frescura dos hondurenhos que jogavam a com uma intensidade bem mais elevada. Logo a abrir três oportunidades claras que só não deram golo pela azelhice dos avançados da equipa de Luis Suarez. A Suíça jogava a passo e, mesmo com os muitos espaços concedidos pelas Honduras, não conseguia sair a jogar. Era penoso ver as camisolas vermelhas coladas ao corpo a arrastarem-se em campo.
Pelo meio, as Honduras continuaram a carregar e ficou mesmo uma grande penalidade por marcar, numa falta clara de Djorou sobre Jerry Palacios na área helvética. A equipa de Luis Suarez julgou o adversário «morto» e mudou-se definitivamente para o meio-campo adversário. Na primeira oportunidade, a Suíça disparou para o terceiro golo, aquele que tornava o saldo postivo. Pontapé longo para a frente, Drmic a fugir a toda a gente e a oferecer o «hat-trick» a Shaqiri, a gradne figura desta partida.
Ao contrário da tendência deste Mundial, neste Grupo E passaram duas equipas europeias e ficaram pelo caminho duas americanas, mas os helvéticos vão agora medir forças com a poderosa Argentina.

Confira a FICHA DO JOGO

Fonte: Mais Futebol