Vinte empresários suspeitos de terem ligações com a máfia calabresa 'Ndrangheta' foram detidos esta terça-feira pela polícia e Turim, acusados de associação mafiosa, extorsão e agiotagem, confirmou à EFE a polícia italiana.

Os detidos pertencem ao tecido económico e empresarial de Itália e estão diretamente relacionados com a contratação pública.
Na operação "San Michele", a polícia italiana determinou que estes vinte empresários, que exercem a sua atividade em Milão, Génova, Catanzaro e Turim, têm ligações com a máfia calabresa.
Além das detenções, a polícia de Turim confiscou bens no valor de 15 milhões de euros.
Estas detenções juntam-se às penas de até 20 anos de prisão impostas no passado dia 28 de junho pelo tribunal de recurso de Milão a cerca de 40 membros e colaboradores da 'Ndrangheta', entre eles um ex-polícia e um ex-funcionário público da saúde.
Também no passado dia 23 de junho, 95 presumidos membros da Cosa Nostra foram detidos em Palermo, no sul da Sicília, acusados de extorquir durante anos empresários sicilianos.




jn