O filho de um dos mais importantes dirigentes da FIFA admitiu ter revendido bilhetes do Mundial, depois de a polícia brasileira ter encontrado o seu nome numa das entradas apreendidas esta semana.

Entre os cem bilhetes que a polícia do Rio de Janeiro apreendeu no âmbito da “Operação Jules Rimet” encontrava-se um em nome de Humberto Mario Grondona. Este não será, contudo, um “candongueiro” normal, uma vez que se trata do filho do presidente da Associação de Futebol Argentino e vice-presidente da FIFA, Julio Grondona.
Aquele que é também o actual treinador da selecção sub-20 da Argentina explicou ao canal TycSports que vendeu alguns bilhetes a um amigo. Grondona alegou ter agido “de boa-fé” e negou qualquer envolvimento com o esquema de revenda de bilhetes desmontado pelas autoridades brasileiras.
“Tenho um amigo, que é muito conhecido na Argentina, que queria vir [ao Mundial] e vendi-lhe alguns ingressos. Ele, por sua vez, deu ingressos a outro amigo”, disse Grondona, acrescentando desconhecer o destino dos bilhetes.
A polícia carioca desmantelou esta terça-feira uma rede ilegal que comercializava bilhetes para jogos do Mundial e que poderia movimentar mais de 60 milhões de euros durante o torneio



P