O desemprego está a baixar. Mas não para todos - o número de desempregados sem trabalho há mais de dois anos somou, no segundo trimestre deste ano, 320 300 pessoas.
São mais 13 200 desempregados (+4,3%) que nos três meses anteriores . E são quase metade (43,9%) do total dos desempregados registados no País; há um ano eram 37,7% do total, de acordo com os últimos dados do INE.
Elísio Estanque, sociólogo e investigador do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, acredita que são na maioria dos casos pessoas com qualificações mais baixas. "Os trabalhadores menos qualificados foram varridos pela crise e são eles que estão a pagar de forma mais pesada a fatura desta crise", precisa o investigador, alertando para os perigos do círculo vicioso que se pode criar. "As pessoas que vão ficando mais tempo no desemprego são as que vão ficando com menos energia e disponibilidade para procurar trabalho", refere, o que acaba por afastá-las cada vez mais de qualquer hipótese de voltar a ter um emprego.




jn