O encontro particular entre a seleção portuguesa de futsal e congénere da Geórgia foi esta terça-feira interrompido quando faltavam seis minutos devido a desacatos entre elementos da equipa visitante e adeptos no Pavilhão Municipal de Vila do Conde.

Os jogadores que estavam sentados no banco de suplentes da Geórgia reagiram de forma inflamada a alegadas provocações vindas da bancada, gerando-se um clima de tensão com troca de insultos, que só não acabaram em agressões físicas porque os agentes de segurança presentes conseguiram criar uma barreira entre jogadores e adeptos.

Para aumentar a tensão, foram arremessados objetos da bancada para a quadra de jogo, com os jogadores georgianos a responder, atirando para o público garrafas de água.
A situação só acalmou quando os jogadores e técnicos da seleção portuguesa ajudaram a mover a equipa adversária para o centro da quadra de jogo, serenando alguns elementos georgianos e pedido calma aos adeptos.
Perante o clima de instabilidade no pavilhão, os responsáveis das duas federações decidiram antecipar o final da partida, numa altura em que Portugal vencia por 2-0, com golos de Fabinho e Djô.
Depois de na véspera terem conseguido o triunfo por 3-0, na partida disputada na Póvoa de Varzim, a formação lusa voltou a vincar a sua superioridade durante os 34 minutos em que houve partida.







jn