"Eu sempre perguntei se Deus existia. Agora eu sei que ele existe: sou eu!"

Não, não foi George W. Bush nem Tom Cruise quem disse isso. Foi Homer Simpson, depois de algumas cervejas. O pai barrigudo e egocêntrico do desenho "Os Simpsons" é o retrato mais fiel do americano médio que o mundo já viu.

Religioso, glutão de fast-food e viciado em desportos que quase ninguém pratica além de suas fronteiras, o tal americano médio mora no interior do país e no máximo, 20 minutos de distância de um supermercado Wall-Mart. No fim de semana, assiste a uma longa partida de beisebol, depois da missa. Para manter o corpinho inchado, devora sanduíches que estão 23% maiores que os de 20 anos atrás. Para ajudar a descer, os refrigerantes aumentaram 52% no mesmo período. Resultado: o americano médio engordou 5 kg desde os anos 80.

Esse cidadão, que eles chamam de John Doe, ou Zé Mané, tem certeza de que a língua falada no Brasil é o espanhol. Já ouviu falar do Carnaval. Exactos 52% dos cidadãos do país com renda per-capita anual de 44.200 dólares por ano não sabem que a Terra leva 365 dias para dar uma volta em torno do Sol.

O americano médio apoia a guerra, mas não gasta mais do que 7 minutos por semana pensando nisso. O jornal mais lido dos Estados Unidos, o USA Today, é notável por seus textos curtos, gráficos e mapas e que tem mais de 2 milhões de leitores todos os dias. John Doe ama sua TV. Quatro em cada cinco já dispararam armas de fogo e 84% têm muito orgulho de ser americanos.

American Way: Como vive, se alimenta, curte e faz compras

TV:

O americano não vive sem a TV: tem pelo menos três aparelhos em casa. Por dia, sua TV fica ligada durante 7 horas e 13 minutos. Quando fizer 70 anos, já terá desperdiçado de sete a dez anos em frente à TV. Só de comercial, será um ano inteirinho. Cerca de 70% das creches têm salas de TV. Os pais não podem reclamar: gastam 3 minutos por semana falando com os filhos. No mesmo período, as crianças passam 1680 minutos na frente da TV, em média.

Carro

Todo americano médio tem um carro grande. Grande, não: enorme. As pesquisas mostram que 89% das famílias têm um carro ou mais na garagem. Depois de casa e comida, o carro é o que mais come seu salário. Durante toda a vida, vai gastar entre 240.000 e 350.000 dólares com sua paixão. Nove entre dez viagens são feitas sobre quatro rodas.

Sexo

Os americanos têm um fascínio pela casa de banho: 70% dizem ter feito sexo no lavatório ou na sanita. Mas o lugar preferido de nove entre dez casais americanos é mesmo o banco de trás de um automóvel.

Desporto

Futebol é coisa de mulher. Homem que é homem joga futebol americano, hóquei, beisebol e basquetebol. O atleta que admira corre, pula, joga, derruba, e acima de tudo, bate. Uma pesquisa da NBA (a liga que organiza o basquetebol) mostrou que 40 dos 66 atletas premiados em 2005 estão entre os mais agressivos. Os comentaristas de desporto adoram usar linguagem de guerra ao descrever o que acontece nos campos. Para o americano, quanto mais violência em jogo e comida na arquibancada, maior é a diversão.

Drogas

Os americanos são os maiores consumidores de cocaína e heroína e os Estados Unidos são maiores produtores de anfetaminas. Um em cada dois americanos já fumou pelo menos um cigarro de maconha. Inclusive os dois presidentes do país, George W. Bush e Bill Clinton. Para completar o quadro, o primeiro presidente americano, George Washington, ainda na época da independência (1776), plantava maconha.

Shopping

Em 1987, o número de shopping centers superou o número de high schools (as escolas secundárias) nos E.U.A.: 32.563. Hoje, há cerca de 50.000 shoppings nos states.

Para 93% dos adolescentes, ficar passeando no shopping é a actividade favorita. O americano médio passa 6 horas por semana vendo lojas. Quando vai para casa, atende cerca de 300 ligações de telemarketing por ano. O americano compra tanto, mas tanto, que vira e mexe faz um garage sale (um feirão particular) para vender tudo o que comprou no mês passado e abrir espaço para novas aquisições.

O que ele compra? TVs maiores. E flamingos (!). Uma pesquisa mostrou que 250.000 flamingos são vendidos todos os anos nos Estados Unidos.

Comida

Para o americano médio, o palhaço Ronald McDonald’s é a personagem infantil mais famosa do mundo, logo depois do Pai Natal.

Não é à toa que, quando cresce, cada adulto consome três hambúrgueres e quatro pacotes de batata frita por semana. De sobremesa, um sundae: o americano médio toma 1 tonelada de sorvete durante a vida. Talvez para economizar, um em cada oito americanos trabalha ou já trabalhou numa loja do McDonald’s. Em compensação, 60 milhões de americanos são obesos.

Quando a barriga não aguenta mais e até a consciência pesa, o americano come um lanche diet, cujo mercado já movimenta 34 biliões de dólares por ano, o que daria para pagar metade dos juros da dívida do Brasil.

Lixo

A cada dois anos, os Estados Unidos poderiam fazer uma fila de camiões de lixo lotados daqui até à Lua. Os americanos são apenas 5% da população mundial, mas geram 30% de todo o lixo do planeta. O lixo do americano médio equivale ao de 3 japoneses, 6 mexicanos, 14 chineses, 38 indianos, 168 bengalis e 531 etíopes. Durante toda a vida, o americano médio vai jogar fora 600 vezes o seu peso adulto.

Religião

O americano médio é muito religioso. Existem entre 92 e 98 milhões de evangélicos convertidos hoje nos Estados Unidos.

Segundo os dados da CIA, a população se divide em seguintes religiões:
- Protestantes (52%),
- Católicos (24%),
- Mórmons (2%),
- Judeus (1%),
- Muçulmanos (1%),
- Outros (10%),
- Ateus (10%).

Crime

Para um americano médio, lugar de bandido é na cadeia ou no caixão. Mas não necessariamente nessa ordem. Os Estados Unidos têm a maior população prisional do mundo, com 2 milhões de presos, e são o quarto país que mais condenou prisioneiros à pena de morte. Aliás, o recorde entre os governadores ainda é o do Bush: 150 pessoas condenadas à pena de morte passaram desta para melhor durante os seis anos de seu governo no Texas.

A polícia americana é proporcionalmente, a que mais dispara armas de fogo e mata em diligências ou perseguições. Para completar, nos Estados Unidos existe uma arma e meia para cada americano vivo e uma em cada 20 pessoas vai passar algum tempo na cadeia.

Fonte: Aventuras na História.