Selecionador da Arménia diz que Portugal não tem "nenhuma classe fora do campo".

O selecionador da Arménia, o suíço Bernand Challandes, acusou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de "falta de classe" e prejudicar deliberadamente a preparação da sua equipa no Algarve, antes do encontro de qualificação para o Euro 2016.

"Chegámos na quarta-feira e deram-nos um campo impraticável para treinar. Tentámos ir para outro campo, mas disseram-nos que não porque Portugal iria lá treinar. Mas, nesse dia, Portugal treinou no Estádio Algarve", começou por dizer o líder da formação de Leste.


Challandes, que falava após a derrota por 1-0 no Grupo I, continuou com as acusações à FPF e explicou que o motorista que transportou a equipa para o Estádio Algarve levou "40 minutos a fazer um trajeto de 10 e foi parar a um descampado". "Como é que o motorista não sabia o caminho? Como? Perguntámos o caminho a um polícia e também não sabia. Como? Foi uma estratégia muito má de Portugal. Portugal tem classe no relvado e mas tem nenhuma classe fora do campo", concluiu.


O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, negou que tivesse existido qualquer "estratégia para criar dificuldades aos adversários". "Em termos analíticos, quem alterou a hora do treino foi a Arménia em cima da hora, o que nos obrigou a procurar um campo alternativo, porque a partir das 17h00 já é noite", afirmou Gomes, em declarações à RTP.


lusa