"Creio que algumas pessoas estão a pensar que o que Putin fez não foi assim tão inteligente", diz o presidente dos Estados Unidos, sobre a anexação da Crimeia.

Numa longa entrevista à rádio americana NPR, antes de entrar de férias, o Presidente Barack Obama comentou a anexação da Crimeira por Putin, dizendo que, embora muitos a tenham considerado uma jogada genial, agora "algumas pessoas estão a pensar que o que Putin fez não foi assim tão inteligente".

Questionado pelo entrevistador, Steve Inskeep, sobre assuntos da política externa dos Estados Unidos, Barack Obama optou por colocá-la em contraste com a política russa. "Uma das coisas que aprendi ao longo de seis anos", explicou, "foi a ter alguma paciência estratégica". Algo que, insinua o Presidente, faltou a Vladimir Putin.
"Há três ou quatro meses, toda a gente em Washington estava convencida de que o Presidente Putin era um génio", disse Obama. "E eu disse na altura que não queríamos guerra com a Rússia, mas que podíamos aplicar pressão gradual, trabalhando com os nossos parceiros europeus."
O Presidente americano afirma que os Estados Unidos foram "a espinha dorsal de uma coligação internacional" contra a anexação russa da Crimeia, e que o tempo mostrou que este foi "um erro estratégico da Rússia".
"Hoje creio que, pelo menos fora da Rússia, algumas pessoas estão a pensar que o Putin fez não foi assim tão inteligente", disse Obama.



dn