Durão Barroso contesta iniciativa do primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, que quer um debate sobre o regresso da pena de morte.
O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso afirmou hoje, num canal de televisão húngaro, que a Hungria só poderá retomar a pena de morte se sair da União Europeia.



"Se um Estado-Membro quer [restabelecer a pena de morte], pode fazê-lo, mas, neste caso, terá de sair da União Europeia", disse o ex-primeiro-ministro português, numa entrevista à estação de televisão húngara ATV.



Recentemente, o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, pediu um debate sobre o regresso da pena de morte.
"O restabelecimento da pena de morte não é possível num Estado-Membro da União Europeia. O debate foi encerrado há muito tempo, todos os Estados-Membros são claros quanto a isto", insistiu Durão Barroso, que presidiu à Comissão Europeia durante dez anos, entre 2004 e 2014.


dn