Jack Warner devia ter entregue 660 mil euros para as vítimas do terramoto do Haiti, mas o dinheiro caiu apenas na sua conta.
Todos os dias há desenvolvimentos sobre a investigação que as autoridades norte-americanas estão a realizar à FIFA. O último envolve Jack Warner, vice-presidente da FIFA até 2011. O antigo dirigente é suspeito de ter desviado 660 mil euros que se destinavam às vítimas do terramoto no Haiti, ocorrido em 2010, e que vitimou mais de 200 mil pessoas.



Dias depois da catástrofe, a FIFA, em parceria com parceiros da Coreia da Sul, decidiu entregar os referidos 660 mil euros, destinados à reconstrução da federação de futebol do Haiti, que sofreu um duro revés com a morte de 30 elementos, entre os quais treinadores, jogadores e dirigentes.

E é aqui que entra Jack Warner. Naquela altura, Warner era o presidente da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf), entidade que tinha sobre a sua alçada a federação de futebol do Haiti.



dn