Atrito do pneu com o asfalto gera eletricidade


gerador-triboeletrico_zpshkngvf7b.jpg
O protótipo é pequeno, mas produziu electricidade de forma muito consistente. [Imagem: Yanchao Mao et al. - 10.1016/j.nanoen.2015.04.026]

Nanogerador triboelétrico


Uma equipe de pesquisadores da China e dos Estados Unidos conseguiu gerar energia elétrica a partir do atrito entre os pneus de um carro e o asfalto.
Já existem protótipos explorando diversas técnicas para gerar energia a partir dos pneus, incluindo geradores piezoelétricos e colectores de energia vibracional.
Yanchao Mao e seus colegas fizeram algo de diferente, pois construíram um nanogerador tribológico.
A tribologia - palavra derivada do grego tribos, que significa atrito - é a disciplina que estuda a interacção entre dois ou mais materiais.
O efeito triboelétrico é a carga elétrica que resulta do contato ou fricção entre dois materiais diferentes.
"A fricção entre o pneu e o solo consome cerca de 10% do combustível de um veículo, sendo essa energia normalmente desperdiçada.
Assim, se pudermos converter essa energia, ela poderá nos dar uma melhoria muito boa em eficiência no consumo," disse o professor Xudong Wang, cuja equipe já havia construído uma capa para telemóvel que recarrega a bateria e um nanogerador movido a respiração.

Energia do atrito


O nanogerador explora a fricção existente entre a banda de rodagem do pneu e o asfalto, gerando eletricidade pela alteração de potencial elétrico entre o pavimento e o pneu.
O protótipo cobre apenas uma parte do pneu de um carrinho de brinquedo, mas gera energia suficiente para alimentar alguns LEDs.
Como a electricidade gerada é diretamente proporcional ao peso do carro e à sua velocidade, a equipa acredita que o conceito possa se mostrar muito mais interessante, quando avaliado em veículos reais.
Pelos cálculos, com um nanogerador com uma eficiência de 50% na conversão do atrito em eletricidade, será possível reduzir o consumo de combustível de um veículo em 10%.
O desafio será integrar o gerador na banda de rodagem do pneu levando em conta o seu desgaste natural.