Os chefes da Defesa britânica devem completar uma revisão dos gastos no outono

O Governo anunciou na semana passada que iria atingir o objetivo mínimo de despesas fixadas pela NATO de consagrar 2% do Produto Interno Bruto a gastos militares durante os cinco anos do mandato.
As forças de defesa britânicas devem destinar uma parte mais significativa do seu orçamento para aviões e 'drones' e outros mecanismos especiais para lutar contra os extremistas, declarou hoje o primeiro-ministro britânico, David Cameron.




O governo anunciou na semana passada que iria atingir o objetivo mínimo de despesas fixadas pela NATO de consagrar 2% do Produto Interno Bruto (PIB) a gastos militares durante os cinco anos do mandato atual de Cameron, eleito em maio.
"Encarreguei os chefes da Defesa e da Segurança de analisar especificamente o que podemos mais fazer para conter a ameaça que constitui o ISIL [Estado Islâmico] e o extremismo islâmico", declarou David Cameron, em comunicado citado pela AFP.
"Isto poderia incluir mais aviões de espionagem, 'drones' e forças especiais. No decurso dos cinco anos que volveram, tive oportunidade de constatar em que medida se afiguram como bens vitais para garantir a nossa segurança", disse o primeiro-ministro britânico.
Os chefes da Defesa britânica devem completar uma revisão dos gastos no outono.



dn