A Turquia está em alerta desde que se juntou de forma mais ativa à "guerra ao terror" e desde que lançou uma nova ofensiva contra o PKK.
Um guerrilheiro que diz pertencer ao grupo extremista Estado Islâmico aparece em vídeo a incentivar os turcos a rebelarem-se contra o infiel Tayyip Erdogan, o presidente turco, e pedir ajuda para conquistar Istambul. A notícia é avançada pela Reuters que, no entanto, não confirma a autenticidade do vídeo.
A Turquia está em alerta desde que se juntou de forma mais ativa à "guerra ao terror", abrindo as suas bases às forças da coligação liderada pelos Estados Unidos e lançando ataques aéreos contra o autodesignado Estado Islâmico (EI). Estas medidas foram tomadas pouco tempo depois de um ataque em Suruc, atribuído ao EI, que matou 34 pessoas.
Ao mesmo tempo, o governo turco intensificou a campanha contra o PKK. Após décadas de violência tinha sido acordado um cessar-fogo e um processo de paz entre Ancara e o PKK, mas tudo caiu por terra em julho quando o governo turco decidiu entrar na luta contra os jihadistas sunitas e estender essa ofensiva também aos rebeldes curdos.
O homem aparece no vídeo com uma espingarda na mão e, num turco sem sotaque, acusa Erdogan de "vender o país aos cruzados" e de permitir o acesso dos EUA às bases turcas apenas para se manter no cargo. "Povo da Turquia: não percam tempo e rebelem-se contra este ateu, cruzados e infiéis que vos transformaram em escravos", diz o guerrilheiro.
No vídeo, intitulado "Uma Mensagem à Turquia", os militantes do PKK, muitos dos quais estão a combater o EI, são descritos como ateus. "Sob as ordens de Abu Bakr al Baghdadi... vamos conquistar Istambul, que o traidor Erdogan trabalha dia e noite para entregar aos cruzados."

dn