Dois membros do Serviço da Guarda Costeira das Filipinas foram libertados e pelo menos 15 rebeldes do grupo islamita Abu Sayyaf foram mortos numa ofensiva militar do exército no sul do país, informou hoje à Efe uma fonte oficial.


Segundo o porta-voz da Guarda Costeira, Armand Balilo, os agentes Rodlyn Pagaling e Gringo Villaruz foram resgatados após um ataque levado a cabo contra o grupo armado, sem disponibilizar mais informação sobre a operação.


Pagaling e Villaruz foram sequestrados no passado dia 04 de maio, na localidade de Dapitan, província de Zamboanga do Norte, na ilha de Mindanao, juntamente com um membro do Governo local, Rodolfo Baligao.
O corpo decapitado de Baligao foi encontrado na semana passada, depois de terem fracassado as negociações entre os jihadistas' e a família do refém.
Por seu lado, as Forças Armadas das Filipinas asseguraram que, nos combates de quarta-feira, morreram pelo menos 15 insurgentes, após um ataque contra um grupo de 100 membros do Abu Sayyaf na localidade de Indanan.
As autoridades não deram, no entanto, qualquer informação sobre os outros dez reféns, filipinos e estrangeiros, incluindo dois malaios e um holandês, que ainda estão nas mãos do Abu Sayyaf.
O grupo de cerca de 400 homens armados é formado por ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética. O Abu Sayyaf foi responsável por vários atentados nas Filipinas, tendo declarado apoio ao Estado Islâmico.


nm