As autoridades portuguesas e francesas detiveram dez figuras-chave de um grupo criminoso que transportava por terra cidadãos da Índia e do Paquistão.




O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desmantelou, em conjunto com as autoridades francesas, uma importante rede de imigração que trazia paquistaneses e indianos para a Europa. O SEF, as autoridades francesas, a Europol e o Eurojust (estrutura de coordenação de justiça da UE), estão em alerta com a possibilidade destas redes poderem começar a passar refugiados e a utilizarem Portugal como placa giratória para o efeito. "A nossa preocupação, a de Portugal e de outros países da União Europeia, deve ser a de não deixar que estas redes de imigração ilegal sejam aproveitadas para trazer refugiados sírios", comentou ao DN um alto responsável do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). "Podem-se lembrar de fazer transbordo e trazer refugiadosa partir de sítios como Calais, em França", adiantou a mesma fonte.Operacionais do SEF, em colaboração com França na operação "Bouquet", acabaram agora com a estrutura montada de transporte por via terrestre de cidadãos indostânicos. Na quinta-feira houve mais duas detenções nesta operação transnacional, sendo que Portugal e França já capturaram 69 membros da rede em dois anos de investigação, incluindo dez figuras chave do grupo, como referiu a Europol. Os detidos são quase todos paquistaneses, havendo também portugueses de origem paquistanesa no grupo, adiantou a fonte do SEF



dn