Verba é igual há anos e não chega sequer para os materiais mais básicos




Pelo quinto ano consecutivo, o Ministério da Educação e Ciência (MEC) aprovou um "apoio financeiro" para a compra de material escolar para os alunos do pré-escolar que oscila entre os 168 e os 324 euros por turma (ver caixa). Uma verba que, por aluno, representa entre 16 e 18 euros para todo um ano letivo. Quem está nas escolas, diz que o valor não chega nem para alguns dos materiais mais básicos usados pelos estudantes. Mas admite que se vão criando estratégias para esticar o orçamento."Qual é a alternativa? Estarem parados?", questiona uma educadora de infância de uma escola do Porto - que preferiu não ser identificada -, descrevendo um quotidiano de gestão euro a euro das verbas: "Cartolinas, canetas, tintas, colas... Tenho de gerir todo esse material tal como giro na minha casa. Se comprar dois ou três jogos didáticos bons, gasto quase metade do orçamento. Há que esticar o pouco que temos para que dure o ano inteiro."Fora da equação, acrescenta, ficam também outros equipamentos - não incluídos na categoria dos materiais financiados pelo ministério - mas que seriam muito úteis para trabalhar com os seus estudantes: "Não temos televisão, nem DVD, que seriam importantes em termos didáticos para algumas atividades letivas. Temos um computador antigo, que funciona mal, e que não chega para ensinar o que quer que seja às 25 crianças desta turma", conta.



dn