A bactéria tem o nome de Klebsiella pneumonlae portadora do KPC e transmite-se de pessoa para pessoa através do contacto com fluídos ou secreções.




No hospital de Gaia foram detetados 30 casos de infeção por uma bactéria muito resistente a antibióticos. A bactéria tem o nome de Klebsiella pneumonlae portadora do KPC e transmite-se de pessoa para pessoa através do contacto com fluídos ou secreções.




O Jornal de Notícias apurou junto do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, que até à data oito pessoas morreram e 22 permanecem internadas.
Os pacientes que se encontram no hospital estão sem sintomas, mas permanecem em isolamento.
A coordenadora do Grupo Coordenador Local do Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos do CHVNG/E, Margarida Mota, dá conta de que as vítimas mortais apresentavam um quadro clínico muito complexo e que, por isso, a causa não pode ser atribuída diretamente à infeção.
“Com base na análise dos dados atualmente existentes, o caso índex terá sido um doente do foro cirúrgico, com complicações pós-operatórias e com necessidade de vários esquemas de antibioterapia”, acrescenta.
Também a presença de uma ferida aberta terá “potenciado vias de transmissão”.


nm