Assunção Cristas acusa o secretário-geral do PS de “querer que a coligação vencedora venha a governar com um programa derrotado nas urnas”.




Assunção Cristas marcou presença no telejornal da TVI deste sábado à noite para uma entrevista de tom exaltado. Falando em nome da coligação PSD/CDS, a ministra da Agricultura acusou António Costa de estar “a jogar a sua existência política e vai esticando a corda”.



Assunção Cristas afirmou que António Costa “não quer chegar a um acordo com a coligação” e que “se o quisesse fazer teria adotado a postura que elogia noutros” partidos, nomeadamente nas reuniões que o PS tem tido à Esquerda.
Entre as críticas que disparou na direção do secretário-geral do PS, Cristas acusou Costa de “falta de honestidade intelectual e política” e de se ter “esquecido de quem ganhou as eleições” de 4 de outubro, eleições essas que o “PS perdeu redondamente”.
Sobre a afirmação de António Costa ontem, também na antena da TVI, sugerindo que haveria “surpresas” ainda por conhecer nas contas do Governo, diz Assunção Cristas que “dívidas debaixo do tapete” houve aquando da governação socialista e que, desta vez, o país “não vai encontrar” nada, assegurou.
Já sobre as negociações à esquerda, a ministra afirmou que “António Costa deve estar antecipadamente arranjar desculpas, porque não vai conseguir ter acordo à Esquerda e ao mesmo tempo governar cumprindo as regras europeias”, acusou.
Sobre as reuniões que já decorreram entre PS e os partidos da coligação, a responsável pela pasta da Agricultura no Executivo cessante considerou que o líder do PS “não está de boa-fé quando não traz para as reuniões nenhum papel, nenhuma circunscrição de trabalhos, nenhuns tópicos prioritários”.



nm