As pequenas moedas de um e dois cêntimos deixarão de circular na Irlanda já no final de Outubro e as transacções em dinheiro passam a ser arredondadas aos cinco cêntimos

A Irlanda segue assim os exemplos da Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Hungria, Holanda e Suécia, que já retiraram de circulação estas moedas mais pequenas.

O Banco Central da Irlanda fez as contas e revela que a produção de uma moeda de um cêntimo custa 1,65 cêntimos, enquanto a de dois cêntimos fica em 1,94 cêntimos. Ou seja, foram 30 milhões de euros gastos com o fabrico destas duas moedas, entre 2001 e 2012, justifica a instituição bancária.

Todas as transacções na Irlanda passarão a ser arredondadas aos cinco cêntimos (para cima ou para baixo) à medida que as pequenas moedas foram sendo retiradas, o que acontecerá a partir de 28 de Outubro.

A moeda de cinco cêntimos passa a ser, assim, a mais pequena para transacções em dinheiro na Irlanda. No entanto, as moedas de um e dois cêntimos continuam a ter valor legal, aplicando-se o arredondamento apenas a transacções em dinheiro.

Ronnie O'Tole, do Banco Central da Irlanda, acredita que as evidências mostram que consumidores e retalhistas vão receber bem esta medida. "O nosso país é bom neste género de mudanças", disse. "Adoptámos o euro primeiro que outros países e as indicações que temos são que consumidores e retalhistas vão aceitar bem o arredondamento", acrescenta.

A mudança já estava a ser preparada há algum tempo, depois de ter sido recomendada pelo ministro das Finanças, Michael Noonan, após um teste feito em Wexford, em 2013, onde 85% dos consumidores e 100% dos retalhistas defenderam que o sistema deveria ser adoptado a nível nacional.

A pergunta agora é: qual será o país que se segue na zona euro a acabar com as moedas mais pequenas?

IN:DE